EndoPelvic - Centro Multidisciplinar de Endometriose
Acesso restrito Acesso Restrito

Endometriose - Revista Em Voga - Outubro 2016

Endometriose - Revista Em Voga - Outubro 2016 - Dr. Luciano Coelho Furtado

Dr. Luciano Furtado fala desta patologia que acomete cerca de 15% das mulheres que estão no período reprodutivo, ou seja, período que vai desde a primeira menstruação até a menopausa

Começo esta matéria prestando uma homenagem à mulher. Esta figura que traz leveza, cor e perfume ao mundo. Esta que tem ocupado a cada dia mais cargos de confiança e de liderança. Esta figura que consegue fazer e dar conta muito bem de mil coisas ao mesmo tempo, cuidar do lar, gerenciar os filhos, cuidar do marido e, ainda por cima, ser uma profissional exemplar.

A mulher mudou muito nestes últimos 20, 30 anos. Hoje temos mulheres com 50, 60, 70 anos trabalhando a todo vapor, fazendo atividades físicas, frequentando aulas de dança, etc.

Ocupam uma boa porcentagem das academias de ginástica e das clínicas de estética. Estão cada vez mais vaidosas e bonitas.

Tudo isso se deve não somente à mudança no pensamento e comportamento que vem acontecendo ao longo das últimas décadas, mas também à indústria farmacêutica, que apostou na SAÚDE DA MULHER, e que tem dado longevidade com qualidade de vida a ela.

Diagnóstico

Levando em conta todos estes tópicos, qualidade de vida, estética, retorno às atividades diárias mais precoces, gerenciamento de mil e uma coisas, é que falamos na patologia da mulher moderna e a cirurgia minimamente invasiva.

A endometriose tem afetado muitas mulheres na sua idade mais produtiva da vida. Estima-se que 10 a 15% das mulheres em sua fase reprodutiva sofram da doença. De 25 a 40% das mulheres com infertilidade podem ter esta doença como diagnóstico.

O que mais nos preocupa é o diagnóstico da doença que, segundo dados da Sociedade Brasileira de Endometriose, tem um atraso de 10 anos ou mais. Sim! Muitas mulheres estão sofrendo desta doença que traz grandes transtornos físicos, mentais, comportamentais e de frustração, devido a um “NÃO” no diagnóstico e, consequentemente, um ‘NÃO’ no tratamento.

Venho através desta, alertar para os sintomas mais frequentes. A tríade clássica é: dor intense e progressiva para menstruar, dor na relação sexual e dificuldade para engravidar. O sintoma DOR, causado por ela, é uma das maiores causas de absenteísmo no trabalho e na escola. Traz transtornos psicológicos, sociais e é uma das grandes causas de transtornos sexuais, afetando o relacionamento com seus parceiros, trazendo como consequência a baixo estima e culpa.

A primeira coisa a fazer, é não aceitar como resposta que todos estes sintomas “são assim mesmo”, que “passa quando engravidar”, que “sentir dor na relação, toda mulher sente um pouco”. Estas desculpas não cabem mais na atualidade. Tem que procurar ajuda de médicos que se dedicam ao estudo desta patologia para que tratamentos corretos e adequados sejam oferecidos. Falando em tratamento, existem inúmeras opções: terapia medicamentosa, cirúrgica, dietas e exercícios físicos, que permitem um melhor convívio com a doença e um ganho na qualidade de vida.

Videolaparoscopia

Outro assunto importante a comentar é a realização da Cirurgia Minimamente invasiva ou Videolaparoscopia, realizada em meu serviço. Patologias como miomas, cistos de ovário, endometriose, seja no grau mínimo ou estágios avançados, retirada de útero por qualquer que seja a indicação, têm sido tratado por esta via. Até mesmo uma simples ligadura das trompas, com saída do hospital no mesmo dia. São inúmeras as vantagens que esta cirurgia oferece: recuperação pós-operatória mais rápida e, com isto, um retorno às atividades diárias mais precoce: menor trauma na parede abdominal; menor risco de infecção; cicatrizes quase imperceptíveis e esteticamente melhores; menor uso de medicações no pós-operatório.

Missão

Dedico-me à Ginecologia há 22 anos. Nos últimos 15 anos, com ênfase em endometriose e na cirurgia minimamente invasiva. São cursos e mais cursos no Brasil e no exterior, com os mais renomados professores que ditam as normativas em relação a esta patologia. Tenho como missão melhorar a qualidade de vida e promover a saúde física, mental e social das pacientes que tanto sofrem com os transtornos de dor e infertilidade, causados pela endometriose.

Se você se encaixa nos assuntos acima descritos e precisa de ajuda, nos procure. Estamos atentos à suas queixas e aptos a lhes ajudar com dedicação, carinho, atenção e tratamento individualizados e atuais. Convido todos vocês a entrarem em meu site, este específico para a patologia endometriose e cirurgias minimamente invasivas, para que conheçam melhor do assunto e possam nos ajudar a divulgar os vários modos de tratamentos que oferecemos: www.endopelvic.com.

 

Publicação: Revista Em Voga
Outubro 2016 - Núnero 314
Máteria de Capa - Página 6