EndoPelvic - Centro Multidisciplinar de Endometriose
Acesso restrito Acesso Restrito

Endometriose e Psicologia

Endometriose é uma doença que acomete as mulheres em idade reprodutiva e que consiste na presença de endométios em locais fora do útero. O endométrio é a camada interna do útero que é renovada mensalmente pela menstruação.

Os principais sintomas da endometriose são dor e infertilidade, e as dores podem ocorrer antes ou durante o período mestrual. Ela surge de repente, trazendo transtorno fisico, pisquiquico e social.

Aproximadamente 20% das mulheres tem apenas dor, 60% tem dor e infertilidade e 20% apenas infertilidade. A dor da endometriose pode ser cólica mestrual intensa, dor abdominal à relação sexual, dor no intestino na época das menstruações ou uma mistura desses sintomas.

Segundo a psiconeuroimunologia, que é um ramo da psicolgia onde estuda as relações mais intimas entre o cérebro e o sistema imunológico, as doenças fisicas nos colocam em contato com nossas pendências e fraquezas, e assim nos possibilitam uma auto-análise, que por sua vez é o primeiro passo de uma caminhada na busca da transformação pessoal e intima das nossas atitudes e pensamentos perante a vida.

A psiconeuroimunologia é um "novo" campo interdisciplinar que vem sanar a lacuna existente entre as neurociências e a imunologia.

Essa relação entre a aparição de uma doença e as nossas experiências vividas é relativa às nossas necessidades mais prementes. Assim, poderíamos supor que algumas condições físicas poderiam estar ligadas a determinadas situações tanto atual quanto em outros momentos de nossa vida.

A endometriose em termos de causa física é ignorada, existem apenas suposições, mas do ponto de vista psicológico é possível que uma doença que prejudica a fertilidade, ofereça à mulher uma investigação para verificar, em seu íntimo, o valor que atribui à maternidade e à vida embrionária, e uma reflexão para verificar a sua capacidade de tolerância à dor e à frustração. Ela diante desse desafio provavelmente reavaliará, também, suas atitudes como filha e esposa...

A visão generalizada, porém, simplista de que qualquer patologia é uma representação de atitudes, pode ser simplista demais, no entanto uma minuciosa investigação a respeito certamente nos revelará alguns caminhos em que devemos trabalhar nosso comportamento e pensamento diante de determinados fatos de nossa vida.

Certamente, o tratamento médico permitirá a melhora da endometriose e evitará seqüelas. O período envolvido com este processo será, também, muito bem aproveitado para a necessária evolução psicológica caso haja uma atitude positiva diante da doença.

Com esperança por parte de quem sofre sem a desistência e luta sem revolta, mas com a devida investigação de seu comportamento e de suas atitudes perante a vida, observo e percebo nos acompanhamento de mulheres que enfrentam problemas de fertilidade, inclusive envolvendo endometriose, é que, uma vez que aprendem a amar além das fronteiras restritas dos seus laços de sangue, ocorrem surpreendentes melhoras nos quadros, mesmos naqueles que antes eram considerados como irreversíveis.

Observem vocês mesmos, não é muito comum que uma mulher que lutou contra a infertilidade, por longos anos, imediatamente após a adoção de uma criança seja surpreendida por uma gravidez espontânea e inesperada?

Parece que o amor que passa a preencher sua alma, tingindo-a de cor de rosa, atua terapeuticamente por mecanismos psicológicos e fisiológicos, provavelmente, transcendendo a sua rigidez de pensamento e liberando-a do sofrimento.


Fonte: http://marcelinopsi.blogspot.com.br/2010/04/endometriose-e-psicologia.html